• Ana Bastos

É mesmo possível? 5 dicas para organizar seu negócio e sobreviver na crise

Atualizado: Ago 25

Empreender não é uma tarefa fácil e as adversidades externas parece que estão vindo com mais frequência e potência. Mas como todo pequeno empreendedor é guerreiro, hoje eu vou te dizer que é possível manter seu negócio mesmo na crise com 5 passos que são simples, mas que precisam de muito empenho.



Uma pequena História da minha vida


Hoje eu tenho minha própria empresa, mas fui criada dentro de um pequeno negócio do ramo da construção civil: meu pai, que é eletricista de longa data, manteve uma empresa com uma equipe enxuta, mas que ganhou muito destaque aqui em Vitória/ES por causa da qualidade e velocidade de execução. E a construção civil é aquela coisa: é o primeiro setor a sentir quando vem a pancada.


Já dizia meu velho pai: "a cada 10 anos mais ou menos a crise sempre vem. Precisamos estar preparados". Então, na época das vacas gordas, seu Darival trabalhava e juntava todo o dinheiro que podia, para quando viesse a recessão, nós e os funcionários dele pudéssemos passar sem sentir tanto. E foi assim por mais de 30 anos.


E esse é o ensinamento que eu quero deixar na prática aqui para você: algumas coisas que você pode fazer para melhorar o seu negócio internamente e estar mais bem estruturado para o que der e vier.


Agora que estamos num período de recessão financeira, esse é um ótimo momento para você começar e aplicar essas mudanças, para quando a economia voltar, você já sair na frente.



Primeiro passo: qual é o seu posicionamento no mercado?


Comece refletindo sobre o seu mercado e pense fora da caixa: O que eu posso fazer para o meu cliente que ninguém mais está fazendo? Qual problema o meu negócio resolve? Para quem estou vendendo ou prestando serviço?


Essas são perguntas essenciais para qualquer negócio, mesmo que você seja autônomo ou até se vender bala no sinal. Se as pessoas veem valor no seu negócio, quer dizer que você vai ser capaz de ganhar dinheiro com ele. E quando eu falo de valor, não estão falando de quanto custa seu produto. É valor de "estima", de quanto o cliente precisa do seu produto ou serviço, independente do preço. Vou dar alguns exemplos:


  • Uma assistência técnica em um bairro onde não tem loja de eletrodomésticos e as máquinas de levar vivem quebrando, possui muito valor ou não?

  • Uma nutricionista que fica numa região cheia de academias, possui muito valor ou não?

  • Um vendedor de água mineral em um sinal numa região quente e sem sombra de árvores, possui muito valor ou não?

  • Uma doceria numa cidade considerada a mais fitness do país, possui muito valor ou não?

  • Uma churrascaria top de linha em um bairro onde a cultura vegana é bem cultivada, possui muito valor ou não?

  • Um salão de beleza especializado em mega hair em um bairro cuja maioria das pessoas é do sexo masculino, possui muito valor ou não?

São exemplos simples, mas para você perceber o que significa "valor" para um negócio. E o mais importante nessa história é você perceber qual valor você tem para o cliente que você quer atender. Com essa informação na mão, você pode elevar, com muito esforço e dedicação, seu negócio a outro nível.


Como eu faço para definir o Valor para meu negócio?


Existe uma ferramenta bem simples de aplicar, porém, que vai te dar uma outra visão da sua empresa. Ela se chama Business Model Canvas (não é o Canva, aquele app de fazer postagem nas redes sociais. É outra coisa, ok?).


O Canvas é uma tabelinha que você pode imprimir, redesenhar num papel ou preencher ele online para ter toda a sua empresa estruturada em torno do Valor do seu negócio. O ideal é manter o Canvas na sua parede para que ele sempre esteja visível e te fazer refletir sobre o seu negócio (e para fazer mudanças também, caso você precise).


O Sebrae tem um modelo online bem bacana e você pode acessar clicando aqui. Ou, se preferir, você pode clicar aqui e pegar um modelo pronto para imprimir.


Em breve eu farei um post explicando como preencher o Canvas e colocarei aqui nesse post.


Essa é uma foto da minha parede, não só com o Canvas, mas com uma tonelada de planejamento da empresa. Bonito não está, mas funciona. :)


Agora que você já estruturou a sua empresa,

preste atenção nesses outros tópicos:


Reveja todos os procedimentos da sua empresa


Desde o financeiro, pós-venda e atendimento ao cliente. Pense em cada um deles como se fosse um passo-a-passo e vá anotando em algum lugar. Depois de ter tudo anotado, de um jeito que você consiga visualizar o todo, vá ajeitando para ficar tudo mais fácil de fazer e de um jeito que vá atender melhor o cliente.


Uma ótima dica para organizar os seus processos é utilizar o Trello (tem site e aplicativo). Crie quadros com as etapas de cada procedimento do seu negócio e vá cumprindo os checklists que você se dispõe a fazer. Tem que ter coragem e colocar a mão na bagunça.


Outro site que te ajudará nessa missão é o Asana, que funciona bem parecido com o Trello, mas é mais dinâmico e intuitivo. Vale a pena conferir.


E para quem precisa de mais, confira o Pipefy, que é um sistema online de gestão dos mais completos que já vi.


Como revisar o seu preço e deixá-lo justo


Um erro muito comum em pequenos negócios é cobrar barato demais pelos produtos ou serviços. Será que realmente esse preço cobre seus custos? Veja o que você pode fazer, independente se você é serviço ou comércio:

  • Coloque um valor para sua hora de trabalho: defina quanto você quer ganhar por mês, divida por 24 dias úteis e, por fim, divida por 8h de trabalho/dia. Assim você chega no seu valor por hora.

  • Levante todos os seus custos diretos que você gasta para oferecer o produto ou serviço.

  • Levante todos os custos indiretos (aqueles complicados de mensurar dentro do valor do produto): luz, aluguel, impostos, gás, etc.

  • Ainda sobre custos indiretos, você pode computá-los na sua composição de preço acrescentando um valor final entre 10% e 20% dos custos anteriores. Facilita a sua vida.

  • Estabeleça uma porcentagem para o seu lucro: um número muito praticado é 30% em média, mais isso varia de mercado para mercado.

  • Soma tudo e voalá, você tem o seu preço.

Para fechar com chave de ouro, faça uma pesquisa de mercado para saber se a concorrência pratica mais ou menos esse valor. Se ficar muito fora, você vai ter que rever os seus custos, ou o valor da sua hora de trabalho ou o seu lucro.


Você sabe para onde o dinheiro está indo?


Agora que você tem uma noção maior de quanto cobrar, você precisa saber para onde está indo o dinheiro que você ganha. Existe uma regra de ouro no empreendedorismo que, se você seguir, já é um ótimo passo para você não quebrar. Ela diz:


"Nunca, mas nunca, misture as contas da empresa com as pessoais."


Se você mete a mão no caixa para pagar seu supermercado e não tira o seu selário (o salário de um empreendedor se chama Prolabore), amigo... Tá lascado. Mas, para tudo tem jeito nessa vida, então você vai fazer o seguinte: Procure ajuda.


Tem duas pessoas na internet que podem te ajudar. Uma é a Natália do "Me Poupe" e a outra é a Nathália do "Finanças com Nath". Elas vão saber te orientar melhor do que eu.


Mas, se você quiser uma recomendação minha, comece anotando tudo o que você gasta. Não precisa fazer uma tabela complexa, mas liste todos os seus gastos e veja o que pode ser cortado ou reduzido.


Tá, e como conseguir clientes?


Essa é uma pergunta que bombardeia a cabeça de todo mundo que está começando. Vou listar de uma forma bem fácil alguns jeitos que você pode começar. Mas não se esqueça: para não matar o seu negócio, comece de forma íntegra, organizada e sem encher o a paciência das pessoas. E sem comprar seguidores e mailing também.

  • Fale para todos os seus amigos e parentes que você tem um novo negócio.

  • Visite ou entre em contato com potenciais parceiros e ofereça o seu produto ou serviço de um jeito que possa agregar mais valor ao negócio dele.

  • Ofereça seus serviços em grupos no Facebook.

  • Crie conteúdo nas redes sociais explicando tudo o que você faz. Isso ajuda você a criar autoridade no assunto. Vídeos tem um resultado mais rápido, fica a dica.

Bônus: mantendo a roda girando e não deixar a peteca cair


O jeito que eu achei para não deixar a engrenagem parar e ter que recomeçar tudo de novo é ter um Plano B, C e D. Juro, você precisa pensar no que você vai fazer caso uma catástrofe aconteça. E lembre-se de deixar tudo anotado para não perder, pois no desespero a gente não consegue mais lembrar de nada.


Outra coisa é você fazer reuniões semanais para verificar os resultados de tudo o que foi feito e também para verificar o que não funcionou e precisa ser melhorado. Mesmo que só tenha você na empresa, faça essa reunião. Você vai ver o quanto seu negócio mudará depois disso.


Tente colocar algumas dessas coisas em prática e depois me conta se funcionou ou não.







77 visualizações

Fique por dentro

  • Youtube
  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Facebook Branco
  • Linkedin
  • TikTok
Envie uma mensagem para nós

contato@organikamidias.com.br

+55 27 99249.8040

das 9h às 18h.

Somos de Vitória/ES e atendemos empresas de todo o Brasil e no Exterior.

CNPJ: 24.791.787/0001-15

  • Youtube
  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Facebook Branco
  • Linkedin
  • Spotfy
  • TikTok
  • Youtube
  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Facebook Branco
  • Linkedin
  • TikTok